Onda de calor histórica nos EUA, degelo no Ártico, e tornados na Europa…

Nos últimos dias temos assistido a algumas situações extremamente anómalas no clima a nível mundial

Desde o calor extremo nos Estados Unidos, que vai INTENSIFICAR ao longo dos próximos dias, passando pela onda de TORNADOS na Europa, sem esquecer, claro, o degelo no Ártico em níveis RECORDE desde há mais de um ano

Mas afinal, o que está a provocar toda esta anomalia?

Publicidade

A anomalia da temperatura de água do mar, cada vez mais evidente, cria uma maior “ondulação” na corrente de jato (devido às diferenças de temperatura entre as latitudes tropicais\subtropicais\árticas) que leva a que episódios extremos sejam cada vez mais frequentes

Um exemplo: O bloqueio anticiclónico persistente na Escandinâvia no Verão, que tem vindo a caracterizar os Verões pelo menos há 3\4 anos, tem feito com que os Verões na Europa de Norte sejam cada vez mais quentes (Este ano está particularmente quente…) e com a corrente de jato cada vez mais a Norte, devido ao reforço anticiclónico nas latitudes sub-tropicais, a tendência é para que este processo seja cada vez mais rápido. Outro exemplo tem sido a Sibéria, que tem tido anomalias simplesmente BRUTAIS nos últimos Verões, que levam a incêndios catastróficos, que rapidamente têm modificado as paisagens e ecossistemas, além de contribuir para um aumento ainda mais rápido do degelo, atráves de um mecanismo de “feedback”

Tudo isto contribui para que o degelo seja cada vez mais acentuado (Ver imagem abaixo) e que rapidamente poderá levar à ausência de gelo no ártico nos Verões


ONDA DE CALOR EXTREMO: EUA

Nos próximos dias assistiremos a uma onda de calor absolutamente HISTÓRICA no Noroeste dos EUA, assim como em partes do Canadá

Em latitudes acima de 55ºN teremos temperaturas ACIMA DE 40º!

Em alguns locais, como por exemplo Portland (Oregon) as temperaturas podem atingir mais de 45 graus, aproximando-se mesmo localmente de 50!

As temperaturas normais para esta época do ano, nesta zona, rondam os 23 a 25 graus para a máxima, o que significa que em alguns locais a temperatura pode estar até 25 graus acima da média!

Isto deve-se a um enfraquecimento da corrente de jato no Pacífico Leste, e água do mar extremamente quente nessa zona. Com uma depressão isolada perto da Costa Oeste\Noroeste dos EUA há um “forçamento” de ar quente que sobe desde a Baía de São Francisco, para Norte, e depois para Nordeste (Chegando ao Canadá mais tarde, mesmo em latitudes DENTRO do Círculo Polar Ártico (60+ºN) com temperaturas acima de 30º!

Deixo agora a carta do modelo ICON, com previsão de 50 graus no Noroeste dos EUA, algo impensável!

Deixo ainda a animação do ECMWF em relação à evolução da anomalia de temperatura a 850hPA onde podemos ver o deslocamento SO\NE da massa de ar


ECMWF evolução da anomalia de temperatura a 850hPA


TORNADOS NA EUROPA: CADA VEZ MAIS FREQUENTES?!

Nos últimos dias temos assistido a uma “onda de tornados” na Europa, com pelo menos uma dezena de registos entre vários países (França, Alemanha, Áustria…) sendo que neste dia 24 de Junho tivemos um tornado de dimensões muito consideráveis para a realidade Europeia na República Checa 

Estes fenómenos são cada vez mais frequentes? Sim, e a resposta está, mais uma vez, na “ondulação” da corrente de jato que ja falei acima

Essa “ondulação” provoca uma maior probabilidade que as depressões se “desprendam” da circulação geral da atmosfera, e acabem isoladas. Estas situações fazem com que uma bolsa de ar mais frio em altitude choque com o ar mais estável e quente e aumentem a instabilidade. Em Portugal, no Verão, normalmente, não temos uma grande probabilidade de tornados, pois, por regra, a humidade não é muito elevada, no entanto na Europa, uma vez que temos por um lado a entrada de humidade vinda de Noroeste (mais uma vez a “ondulação” da corrente de jato explica o porquê) que fica muitas vezes “retida” nas cordilheiras montanhosas da Europa Central, e por outro lado um maior “wind-shear”, a probabilidade de tornados é maior, e a intensidade dos mesmos é maior quanto maior for a instabilidade\energia disponível, o que, obviamente, com um clima cada vez mais de extremos, é também maior



Qual a tendência a longo prazo?

Publicidade

Conforme tinha dito em cima, a tendência unânime a longo prazo será para um AUMENTO da intensidade e frequência de todos estes fenómenos

Um exemplo é o bloqueio anticiclónico na Escandinâvia, que pode por um lado, e falando sobre Portugal Continental, aumentar as tempestades no Inverno, e as ondas de calor no Verão

O ECMWF está a prever, à data de escrita deste artigo (25\06\2021) 46 dias com este bloqueio (Efetivamente toda a previsão do ensemble, o que é extraordinariamente raro)


Se consideram as previsões\informações da Luso Meteo importantes, e vos são úteis, e gostariam de contribuir com donativos para a manutenção deste projeto podem fazê-lo através de

MBWay: 918260961

IBAN: PT50 0007 0000 0029 3216 7422 3

Muito obrigado <3

Talvez lhe interesse...

Deixe uma resposta