Riscos naturais: Como identificar o risco em que me encontro e como proceder?

Untitled 18 1

Em caso de episódios de chuva extrema há algumas coisas muito importantes que deve saber, e que se deve perguntar a si mesmo, para que possa perceber que risco corre, e o que pode fazer para diminuir esse mesmo risco e manter-se em segurança, a si, aos seus, aos seus bens, e aos seus animais!

Assim preparámos uma série de informações e questões para que possam tentar avaliar o risco

É sempre imperativo não ignorar avisos: pode nada ocorrer, mas a prevenção é a chave para que tudo corra bem!

RISCOS NATURAIS – QUESTÕES QUE ME DEVO FAZER…

LOCAL ONDE ME ENCONTRO

  • Qual o substrato rochoso/solo do local em que me encontro? Rocha firme ou solo/sedimentos soltos tem comportamentos diferentes perante grandes quantidades de água. Rocha firme leva a menor infiltração e maiores escorrências da água, o que pode vir a causar problemas nas zonas mais abaixo, mas por outro lado tem mais capacidade estrutural de suportar grandes quantidades de água sem derrocadas. Solo solto, seja terra, areia e outros sedimentos permitem a infiltração da água, o que diminui a quantidade de água que escorre para zonas mais baixas, no entanto, se a quantidade de precipitação for extrema, há maior risco de aluimentos e derrocadas, particularmente em vertentes com alguma inclinação. Em meio urbano, devido à grande impermeabilização dos solos (alcatrão e betão), a água escorre na sua quase totalidade, assim, sendo muita torna-se impossível a sua total escoação através de sarjetas e outros sistemas de escoamento e esgotos urbanos, o que tende a levar a fortes cheias nas zonas mais baixas, e a formação de “rios” nas ruas mais propícias a tal pela sua inclinação e localização.
  • Qual a inclinação das vertentes que circundam o lugar onde me encontro? Parece-me haver maior ou menor risco de cheias e/ou derrocadas?
  • Em caso de chuva demasiado forte, por onde escorrerá a água? (A água tende a escorrer sempre pelo ponto mais baixo)…
  • O escoamento da água encontra-se desimpedido? O que posso fazer para permitir que a água flua livremente sem causar danos?
  • A que altitude me encontro (no vale) e relativamente aos cursos de agua mais próximos? Encontro-me num leito de cheia (quase ao nível do rio mais próximo) ou em zona facilmente inundável?
  • Qual a dimensão da bacia hidrográfica do rio (ou de estradas que possam funcionar como tal)?
  • Quantos rios e ribeiras desaguam neste rio a montante (acima) do local onde me encontro?
  • Qual a distância a que me encontro da nascente do rio? Qual a altitude dos montes e serras ao meu redor? Quanto maior for o número de rios e ribeiras, a distância até à nascente do rio e/ou a altura das vertentes em redor, maior a quantidade de água que se tende a acumular, variando consoante o tipo de solo/substrato rochoso e o nível de saturação do mesmo. Por vezes, particularmente em meios urbanos, os rios foram ocultados pelas construções, e encontram-se canalizados por baixo de estradas e edifícios. Se a chuva for muito abundante novos “rios” podem criar-se temporariamente a superfície no mesmo local onde aqueles corriam, ou noutros locais se as alterações que foram feitas assim o obrigarem.
  • Em que estado de saturação se encontra o solo nesta zona? Tem chovido muito ou tem havido seca?

Essa informação pode ser encontrada AQUI

  • Solos já com muita água tendem a levar a maiores escorrências da água e menor infiltração, o mesmo acontece inicialmente em solos demasiado secos.
  • As cheias rápidas (flash floods) são por vezes causadas por chuvas muito intensas a montante (acima, nas serras de onde o rio vem, por exemplo), podendo nem estar a chover muito no local onde a cheia ocorre. Caracterizam-se pela sua rapidez, podendo surgir uma grande inundação no espaço de poucos minutos…
  • Se o vento for forte, existem nas proximidades objetos que se possam soltar e provocar danos? O que posso fazer para os retirar ou, na impossibilidade de os retirar, reforçar a forma como estão fixos?
  • Será que tenho o meu carro em segurança? Olhe ao seu redor e avalie o risco e caso necessário e possível desloque o carro para um sítio mais seguro
  • Tenho alimentos e agua potável em casa suficientes para alguns dias, para evitar deslocações desnecessárias? Por vezes pode ser impossível sair de casa durante dias, pelo que é importante ter isto em conta
  • Qual a preparação que fiz para uma eventual falha mais prolongada no fornecimento de eletricidade? Tenho as baterias dos aparelhos, que me sejam relevantes, carregadas? Tenho powerbanks carregadas, painéis solares ou outra forma de gerar eletricidade?
  • Pontos e meios de fuga, qual o melhor plano que poderia traçar? Caso me venha a encontrar em situação de alto risco, o que posso fazer? Tenho caminho por onde saiba que, tendo em conta o que foi dito acima, posso seguir em segurança? Posso sair temporariamente do local onde me encontro, se este for de alto risco? Quando me desloco para outro local, quais as condições que vou encontrar no caminho, tendo em conta o que foi dito acima? Qual o trajeto mais seguro? Essa deslocação é mesmo necessária ou pode ser evitada? Se puder ser evitada, faça-o… Ser apanhado numa enxurrada é uma situação que pode ser fatal, pois simplesmente pode não haver tempo de escapar
E também muito  importante… O que posso fazer para ajudar os outros? Quem pode precisar da minha ajuda? De que forma posso ajudar?
Pense em tudo isto, e tome as devidas precauções, para que, no caso de uma tempestade, tudo possa correr pelo melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *