pt Português
en Englishes Españolit Italianofr Françaissv Svenskada Danskde Deutschpt Portuguêspl Polskiro Românăsq Shqipam አማርኛar العربيةhy Հայերենaz Azərbaycan dilieu Euskarabe Беларуская моваbn বাংলাbs Bosanskibg Българскиca Catalàceb Cebuanony Chichewazh-CN 简体中文zh-TW 繁體中文co Corsuhr Hrvatskics Čeština‎nl Nederlandseo Esperantoet Eestitl Filipinofi Suomify Fryskgl Galegoaf Afrikaanska ქართულიel Ελληνικάgu ગુજરાતીht Kreyol ayisyenha Harshen Hausahaw Ōlelo Hawaiʻiiw עִבְרִיתhi हिन्दीhmn Hmonghu Magyaris Íslenskaig Igboid Bahasa Indonesiaga Gaeligeja 日本語jw Basa Jawakn ಕನ್ನಡkk Қазақ тіліkm ភាសាខ្មែរko 한국어ku كوردی‎ky Кыргызчаlo ພາສາລາວla Latinlv Latviešu valodalt Lietuvių kalbalb Lëtzebuergeschmk Македонски јазикmg Malagasyms Bahasa Melayuml മലയാളംmt Maltesemi Te Reo Māorimr मराठीmn Монголmy ဗမာစာne नेपालीno Norsk bokmålps پښتوfa فارسیpa ਪੰਜਾਬੀru Русскийsm Samoangd Gàidhligsr Српски језикst Sesothosn Shonasd سنڌيsi සිංහලsk Slovenčinasl Slovenščinaso Afsoomaalisu Basa Sundasw Kiswahilitg Тоҷикӣta தமிழ்te తెలుగుth ไทยtr Türkçeuk Українськаur اردوuz O‘zbekchavi Tiếng Việtcy Cymraegxh isiXhosayi יידישyo Yorùbázu Zulu

Trovoadas dia 1 de Setembro: Risco Meteorológico

No dia 1 de Setembro teremos a passagem de uma perturbação em altitude associada a uma perturbação do jet subtropical

Irá propiciar instabilidade, com condições favoráveis para ocorrência de trovoadas

Essas trovoadas dar-se-ão maioritariamente durante a tarde, quando o “lift” será maior, propiciando índices de CAPE elevados…

As outras condições suportam trovoadas praticamente estacionárias, em especial no Interior Norte e partes do Centro, o que obviamente poderá facilitar inundações locais e formação vertical que pode suportar granizo localmente grande (Saraiva)

Primeira vemos uma carta da MetOffice que nos mostra a sinótica à superfície, com uma perturbação em altitude em Espanha, que propiciará as condições de instabilidade já mencionadas

Uma frente oclusa aproxima-se, enquanto uma frente quente se forma em Espanha

Tudo isso suportará um aumento de humidade


ÍNDICES DE INSTABILIDADE

CAPE

Um dos índices mais importantes, previsto pelo modelo ARPEGE

Vemos claramente todo o Interior com bastante CAPE (Energia disponível) com especial destaque para as regiões Norte e alguns locais de montanha do restante território


DLS (Deep-Layer Shear)

Deep-layer shear relativamente fraco parece suportar células dispersas e menos duradouras, ou seja que podem perder força um pouco mais rápido

Por um lado isso é bom pois ajuda a minimizar o risco de inundações rápidas que é maximizado pelo movimento lento das células, mas minimizado precisamente pelo DLS mais baixo, assim como água precipitável (Ver abaixo)

No entanto pode aumentar o risco de granizo de grande dimensão


ÁGUA PRECIPITÁVEL

[the_ad id=”6411″]

Não há muita água precipitável disponível

Isto diminui um pouco o risco de inundações, mas talvez no Interior Norte possa haver condições para chuva localmente excessiva

Por outro lado, dado a energia disponível aumenta o risco de granizo, que pode ser localmente grande (Saraiva)

Com o CAPE localmente acima de 1500\2000J\Kg células mais intensas podem produzir saraiva até 5cm


PREVISÃO

Assim prevêem-se as seguintes condições

  • A partir da manhã desenvolvimento de algumas trovoadas, no Minho talvez, assim como Trás-os-Montes
  • Será pela tarde que serão mais intensas, começando possivelmente a formar-se nas montanhas do Centro, evoluindo para Norte
  • As condições previstas são compatíveis com saraiva até 5cm no Interior Norte e Centro, e chuva excessiva especialmente a Centro
  • No Sul pode igualmente ocorrer alguma trovoada, com aguaceiros, movimento mais rápido das células, mas risco de alguma inundação, e algum granizo menos significativo
  • No litoral as condições parecem ser menos favoráveis mas deve igualmente ocorrer trovoada, granizo e rajadas
  • Entenda-se Interior pelos locais a mais de 30\40kms do mar em linha reta. No entanto dado que não haverá nortada, deve-se referir que realmente pode haver condições para haver trovoadas, localmente, mesmo no litoral
  • No geral os distritos mais afetados devem ser BRAGA, VILA REAL, BRAGANÇA, GUARDA, VISEU E CASTELO BRANCO
  • Também as zonas montanhosas de AVEIRO, COIMBRA E LEIRIA

Na simulação AROME podemos ver claramente a possibilidade das zonas mais afetadas, MAS É APENAS UMA INDICAÇÃO

Ver mapa de risco Luso Meteo para a indicação de risco



Se considera as previsões\informações da Luso Meteo importantes, e lhe são úteis, e gostaria de ajudar com um donativo para a manutenção deste projeto pode fazê-lo através de

MBWay: 918260961

IBAN: PT50 0007 0000 0029 3216 7422 3

Muito obrigado!

Deixe uma resposta